quarta-feira, 23 de novembro de 2011

° Folclore Brasileiro com Tito Lobo

Folclore no Brasil - O Folclore Brasileiro
O folclore do Brasil é riquíssimo, um dos mais ricos do mundo. Para sua formação, colaboraram principalmente, além do elemento nativo (o índio), o português e o africano. Estes três povos constituíram, podemos dizer, são as raízes de nossa cultura. Posteriormente, imigrantes de outros países, como Itália e Alemanha, deram sua contribuição ao nosso folclore, tornando-o mais complexo e mais rico.
O Brasil apresenta regiões distintas, onde há muitas diferenças pelas influências dos povos formadores. Por outro lado, cada região possui seu gênero de vida de acordo com o meio ambiente, o que influi, também, no folclore brasileiro.
A comemoração do Dia do Folclore é dia 22 de agosto, data em que a palavra folclore foi empregada pela primeira vez.
O artista em questão é Tito Lobo de João Pessoa na Paraíba, em que o folclore é bastante forte. Tito retrata em suas obras a variedade de cores e personagens característicos do nosso folclore como o Boi de Mamão ou Boi Bumbá.
 ATIVIDADE
Observe as obras abaixo e desenvolva uma apreciação e releitura das obras de Tito Lobo, mesclando, recriando e inventando, tendo como tema o FOLCLORE.

Keith Haring


Keith Haring destacou-se de entre os jovens artistas cujo trabalho enchia as ruas de Nova Iorque na década de oitenta. Ele tentou chegar ao maior número possível de pessoas com os seus desenhos iniciais, tendo rapidamente obtido o reconhecimento devido no meio cultural.
Keith se inspirou muito nos trabalhos dos grafiteiros de Nova Iorque naquela época (final dos anos 1970 e início dos 1980). Keith de alguma maneira criou uma linguagem visual de símbolos que atinge a todos igualmente, desde pessoas comuns até crianças e especialistas.
Ele era bastante disciplinado em seu trabalho e preferia trabalhar o tempo todo. Era muito organizado e exigia o mesmo dos outros. No entanto, tinha uma alma doce e sempre se preocupava profundamente com injustiças, com crianças e em ajudar quem precisasse.
Apesar da sua morte prematura em 1990 com a idade de 31 anos, o seu trabalho tornou-se  uma linguagem visual do século vinte, universalmente reconhecida.
Durante sua vida, Keith sempre foi muito filantrópico. Ele dava seu tempo, dinheiro e arte a inúmeras e diversas causas, muitas relacionadas a crianças desprivilegiadas e, já no final de sua vida, às vítimas de AIDS.
Ele doou muitos trabalhos a leilões para esses fins, visitava também crianças doentes e criou murais em hospitais do mundo inteiro e em bairros pobres também, todos de graça.
A Fundação Keith Haring, criada em 1989, preserva o seu legado e dá continuidade ao seu trabalho.





° Entre o real e o Imaginário - Mimético e Abstrato

Entre o real e o Imaginário
Esta proposta começa pela busca de uma da imagem e seus possíveis desdobramentos num processo artístico entre o REAL e o IMAGINÁRIO. Após adotar uma imagem de seu interesse, o estudante começa uma investigação de análise da imagem, transformação e estudos do uso do processo art´sitico em que o objetivo principal é manter uma das partes de arcodo com o real e a outra parte modificá-la para o imaginário. O processo artístico é muito interessante, pois observa-se que abstrair para trazer o mundo imaginário em suas obras é bem mais difícil para a maioria dos estudantes. Durante a construção do fazer artístico, foram identificadas diversas ações e reflexões sobre as imagens escolhidas para se obter o REAL e o IMAGINÁRIO em uma mesma figura. Tais escolhas resultaram nas qualidades visuais das imagens produzidas, fundamentais para ampliar o conceito entre o mimético/figurativo e o abstrato.


° Gustav Klimt - O Artista Camaleão

Gustav Klimt
(1862-1918)
Gustav Klimt é um artista camaleão. Absorve as influências do mundo que o cerca e transforma-as em textura, luz e cor.
Na virada do século, Viena estava dividida entre a modernidade e a tragédia, tornando-se um núcleo de diversidade cultural. Considerada um solo neutro, era palco de experimentos alternativos na arte.
É nesse contexto que Klimt mistura as tendências antigas e modernas, tornando-se um artista de transição. Ele explora o corpo feminino, criando um tipo de mulher fatal, com erotismo mórbido e belo, carregado de simbologia. Em sua obra, notamos traços e estéticas gregas, egípcias e cristãs. Usa materiais como o ouro e a prata, misturados à tinta, para obter soluções mágicas. Alguns de seus quadros se assemelham a mosaicos bizantinos. A arte de Klimt prenuncia o estilo gráfico, óptico e até virtual ao brincar com as sensações visuais entrecortadas.
Acima de tudo, faz do homem e da mulher símbolos de amor e beleza.
Klimt é uma homenagem ao encontro, ao beijo e à alma.