domingo, 21 de junho de 2015

Minjae Lee e suas faces contemporâneas

Minjae Lee e Suas Faces Contemporâneas

   Minjae Lee é um jovem artista Sul Coreano, de 25 anos, cujo trabalho é cheio de cores fortes, cenas agressivas e uma inteligente mistura entre beleza, inocência e fragilidade. Lee, que é autodidata, usa ferramentas antigas, como marcadores, canetas, lápis, recortes, colagens, fotografias, recortes de revistas e retalhos para criar suas ilustrações. Seu dramático trabalho fica ainda mais autêntico por suas texturas e padrões.

   Lee diz se inspirar na face humana, em movimentos abstratos e nas cores. Ele desenha pessoas através do impulso do momento, e, por isso, suas ilustrações são muito espontâneas.
Trabalhos de alunos:

Desenhos TRIBAIS para inspirar o seu trabalho!!!


Proporções do Corpo Humano

Proporções do Corpo Humano

Os alunos do 1º Ano E trabalharam alguns conceitos relacionados a proporção corporal, como: maior e menor. O primeiro passo foi observar-se e observar os seus amigos fazendo um comparativo. O segundo passo foi desenhar em pedaços de papéis com tamanhos diferentes. O terceiro passo foi a confecção de bonecos em pedaços de tecido procurando fazer o desenho o mais próximo possível das proporções e do seu autorretrato.
PRODUÇÃO EM PAPÉIS DE DIFERENTES TAMANHOS:
ESBOÇO PARA A PRODUÇÃO DOS FANTOCHES OU ALMOFADAS:
ALMOFADAS PRONTAS:

O Colorido dos Pássaros de ROGÉRIO DIAS

O Colorido dos Pássaros de ROGÉRIO DIAS

Pintor, desenhista, gravador, escultor, designer gráfico, cartunista, ator, decorador, ilustrador.
Autodidata, sua trajetória artística tem sido uma soma de anos de paciente e incessante pesquisa. Chegou a Curitiba na década de 60. Dono de um processo nativo, muito a frente de seu tempo, demonstrou sempre a sua genialidade em tudo aquilo que fez. Em publicidade, trabalhou como diretor de arte, fotógrafo, designer; no teatro, como ator, cenógrafo e designer de cartazes; no cinema, como ator; em jornais como ilustrador e cartunista;
Antes de dedicar-se exclusivamente a pintura, passou pela escultura, colagem, fotografia e por experimentações na gravura, abordando temas como rostos e corpos femininos, sempre abusando das cores.
Na década de 80, começa a retratar naturezas mortas, sempre associadas com pássaros. Os pássaros passam a ser recorrentes em sua obra, até se tornarem o elemento central.
Em 84 cria painéis para a promoção arte na rua (Museu de arte contemporânea de São Paulo /SP).
Em 93 criou o painel 300 gralhas, especialmente para os 300 anos da cidade de Curitiba.
Em 94 realiza o projeto para um painel de azulejos de 50 metros, (Painel Rio Iguaçu), inaugurado em 1996, em Curitiba.
Realizou diversas exposições individuais e coletivas. Participou e foi premiado em salões de artes plásticas; é um dos artistas mais premiados do Salão de arte do Paraná.
Com clareza e ao mesmo tempo irreverência, sua arte derruba regras se tornando lúdica, singela, livre, genial.É considerado pela crítica, um dos maiores e mais completos artistas contemporâneos do Brasil.
ATIVIDADE
Apreciação e Releitura das obras de Rogério Dias, observando formas e cores fazendo uma conexão com a simbologia da escrita. Também trabalhou-se a motricidade fina através do recorte e da colagem.